• REVIVA Soluções Ambientais

Níveis de Tratamento de Esgoto

O processo de Tratamento de Esgoto pode ser executado em até 4 níveis de tratamento, sendo estes:


  • Nível - Tratamento Preliminar: que tem como objetivo remover sólidos grosseiros;

  • 2° Nível - Tratamento Primário: que visa a remoção de sólidos sedimentáveis. Vale ressaltar que, nestes dois níveis inicias, são predominantes os processos físicos de remoção de poluentes;

  • 3° Nível - Tratamento Secundário: cujo objetivo principal é a remoção de matéria orgânica (M.O.) através de mecanismos biológicos, mas, também, pode realizar a remoção de nutrientes (nitrogênio e fósforo);

  • 4° Nível - Tratamento Terciário: que tem como objetivo a remoção de poluentes específicos (compostos não biodegradáveis ou tóxicos), assim como, a remoção complementar de matéria orgânica e nutrientes não removidos suficientemente no tratamento secundário. Este nível caracteriza-se por utilizar de mecanismos físicos e químicos e, um fato extremamente relevante, refere-se aos custos de investimento inicial na Estação de Tratamento de Esgoto - ETE (se comparado com os demais níveis anteriores), principalmente relacionados as despesas relacionadas a operação da mesma.


No Brasil, possuímos um cenário de saneamento onde aplica-se, na grande maioria das ETE’s, os três primeiros níveis. Sabendo que o 4° nível ainda é pouco adotado e apenas algumas cidades o aplica.

A seguir, será descrito com um pouco mais de detalhamento, cada um dos três principais níveis de tratamento de esgoto adotados em nosso País:

1° Nível - Tratamento Preliminar:


O tratamento preliminar tem como função remover sólidos grosseiros e areia. A remoção dos sólidos grosseiros é de extrema importância para proteger os dispositivos de transporte dos esgotos (bombas e tubulações); proteger as unidades de tratamento subsequentes e os corpos receptores. Esta remoção é realizada através de grades ou peneiras, podendo ser estáticas ou rotativas.

A remoção de areia é muito importante, pois evita abrasão nos equipamentos e tubulações; elimina ou reduz a possibilidade de obstrução em tubulações e tanques; e facilita o transporte do líquido, principalmente a transferência do lodo em suas diversas fases. A areia é removida através de compartimentos denominados “desarenadores” (popularmente conhecidos como caixas de areia). A caixa é dimensionada para que apenas os grãos de areia sedimentem no fundo do compartimento, deixando que a matéria orgânica dissolvida e outros sólidos mais “leves”, que não foram removidos no gradeamento, sigam para o tratamento biológico. Abaixo, a esquerda temos a imagem de uma peneira rotativa e, a direita, de um desarenador.



2° Nível - Tratamento Primário:


O tratamento primário destina-se à remoção de sólidos em suspensão sedimentáveis e sólidos flutuantes, tendo como mecanismo principal envolvido no processo a sedimentação física. Após passar pelas unidades de tratamento preliminar, o esgoto ainda contém sólidos em suspensão não grosseiros, os quais são removidos em unidades de sedimentação (comumente conhecidas como decantadores) quase que integralmente. Parte significativa dos sólidos descritos acima é compreendida como matéria orgânica em suspensão, assim, além da remoção dos sólidos em suspensão do esgoto (entre 60 e 70%), nos decantadores também ocorre remoção de DBO por meia da sedimentação de parte da matéria orgânica, podendo chegar a 40% de remoção de DBO. Em seguida, temos a imagem de uma Decantador.


Decantador

3° Nivel - Tratamento secundário:


O tratamento secundário tem como principal objetivo a remoção de matéria orgânica, em especial a M.O. em suspensão (DBO suspensa ou particulada). Atualmente existem vários processos de tratamento secundário, tais como: Lagoas de Estabilização, Reatores UASB, Lodos Ativados, entre outros. Estes consistem na remoção de matéria orgânica e, quando necessário, a remoção de nutrientes através de mecanismos biológicos.

Uma infinidade de microrganismos como bactérias, protozoários, fungos e outros, utilizam a matéria orgânica contida no esgoto para realizar suas reações bioquímicas metabólicas, ou seja, os organismos consomem a matéria orgânica como alimento. Em condições aeróbias, estes organismos convertem a matéria orgânica em gás carbônico, água e material celular (crescimento e reprodução dos microrganismos), porém, quando em condições anaeróbias, ocorre liberação de gás metano. Abaixo, é possível observar o exemplo do processo através de Lodos Ativados.


Lodos Ativados

Fonte:

Von SPERLING, M. Introdução a qualidade das águas e ao tratamento de esgotos. 3. ed. reimp. Belo Horizonte: DESA/UFMG, 2005.






279 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo