Caixa Desarenadora

Os efluentes domésticos contêm areia, porém, a quantidade de areia presente no esgoto pode variar significativamente e, é decorrente das delimitações das redes coletoras de esgoto. Uma rede coletora sem ligações clandestinas de águas pluviais carrega quantidades praticamente insignificantes de areia, decorrente da lavagem de um sapato sujo, um banho após a pessoa passear na praia, entre outros pequenos usos. Entretanto, se há ligações clandestinas de águas pluviais na rede de esgoto, o arraste de areia para o sistema de tratamento pode ser grande e prejudicial, principalmente para as bombas dos processos.

Na prática é muito difícil descobrir estas ligações clandestinas, porque são feitas dentro das residências da população, que por vezes, comete este erro por falta de conhecimento e consulta de um profissional qualificado para execução das obras hidráulicas. Deste modo, é preciso prever nas Estações de Tratamento de Esgotos (ETEs) um dispositivo para a sedimentação da areia para não haver avarias nas bombas e outros equipamentos, no caso, a caixa desarenadora, que em resumo é dimensionada para proporcionar a sedimentação seletiva de grãos de areia e outras partículas similares em tamanho e densidade.

CAIXA DESARENADORA.jpg